Fernanda Tirelli

Fernanda Tirelli

São José do Rio Preto, SP

Graduada em Medicina pela Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da USP em 2016.

Continuar lendo

Acadêmico

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Formação acadêmica

Graduação em Medicina

2011 - 2016

Universidade de São Paulo

Ensino Médio (2º grau)

2007 - 2009

Intelectus

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Formação complementar

2016 - 2016

Curso ACLS (Advanced Cardiac Life Support ? Suporte Avançado de Vida em Car. (Carga horária: 12h). , Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto - USP, FMRP%20-%20USP, Brasil.

2016 - 2016

Curso Pediatric Advanced Life Support ? PALS. (Carga horária: 12h). , Universidade de São Paulo, USP, Brasil.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Idiomas

Bandeira representando o idioma Inglês

Compreende Bem, Fala Bem, Lê Bem, Escreve Bem.

Bandeira representando o idioma Português

Compreende Bem, Fala Bem, Lê Bem, Escreve Bem.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Áreas de atuação

Grande área: Ciências da Saúde / Área: Medicina / Subárea: Clínica Médica.

Grande área: Ciências da Saúde / Área: Medicina / Subárea: Clínica Médica/Especialidade: Dermatologia.

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Participação em eventos

70º Congresso da Sociedade Brasileira de Dermatologia. 2015. (Congresso).

Voluntária da Campanha Nacional da Prevenção ao Câncer de Pele.voluntária. 2015. (Outra).

22º simpósio de iniciação científica da USP - SIICUSP 2014.10.1 Leishmaniose Tegumentar Americana no nordeste do estado de São Paulo nas últimas três décadas, 1980 a 2013.. 2014. (Simpósio).

Simpósio Clinica Médica Geral. 2014. (Simpósio).

simpósio estresse e medicina. 2014. (Simpósio).

Curso de Primeiros Socorros, organizado pela Liga do Trauma da FMRP. 2011. (Outra).

Workshop de Medicina na Faculdade de Medicina da USP de Ribeirão Preto. tutora. 2011. (Feira).

Workshop de Medicina na Faculdade de Medicina da USP de Ribeirão Preto. tutora. 2011. (Feira).

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Foi orientado por

Ana Maria Ferreira Roselino

DISTRIBUIÇÃO ESPACIAL DA LEISHMANIOSE TEGUMENTAR NO NORDESTE DO ESTADO DE SÃO PAULO NAS ÚLTIMAS TRÊS DÉCADAS; 2014; Iniciação Científica; (Graduando em Medicina) - Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto - USP, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico; Orientador: Ana Maria Ferreira Roselino;

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Produções bibliográficas

  • ROCHA, F. T. ; ROSELINO, A. M. ; VERNAL, S. ; PAULA, N. . 12.1 Diagnóstico final de 86 casos incluídos no diagnóstico diferencial da leishmaniose tegumentar americana em uma casuística brasileira: um estudo transversal retrospectivo.. Anais Brasileiros de Dermatologia (Impresso) , 2017.

  • ROCHA, F. T. ; PAULA, N. ; ROSELINO, A. M. ; VERNAL, S. . Diagnóstico diferencial da Leishmaniose Tegumentar: série de 105 casos em 34 anos de levantamento em amostragem brasileira.. 2014. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

  • VERNAL, S. ; PAULA, N. ; ROCHA, F. T. ; ROSELINO, A. M. ; TURATTI, A. . 11.2 Leishmaniose Tegumentar forma disseminada nos estados de São Paulo e Minas Gerais: série de 17 casos.. 2014. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

  • ROCHA, F. T. ; YAMAGUTI, V. H. ; ROSELINO, A. M. ; ALVES, D. . 10.1 Leishmaniose Tegumentar Americana no nordeste do estado de São Paulo nas últimas três décadas, 1980 a 2013.. 2014. (Apresentação de Trabalho/Simpósio).

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Projetos de pesquisa

  • 2013 - 2014

    ?Distribuição Espacial Da Leishmaniose Tegumentar No Nordeste Do Estado De São Paulo Nas Últimas Três Décadas?, Descrição: Introdução e objetivos: A Leishmaniose Tegumentar Americana (LTA) constitui importante problema de saúde pública, pela ampla distribuição geográfica, elevada incidência e manifestações clínicas que podem causar mutilações graves e permanentes¹. De acordo com o Ministério da Saúde do Brasil, de 1991 a 2010, média anual de 27.374 casos de LTA foi registrada, com 16,4 casos por 100.000 habitantes. Tivermos por objetivo analisar aspectos epidemiológicos, clínicos e laboratoriais em levantamento de casos de LTA nas últimas três décadas. Merece destaque o registro do comportamento temporal da doença durante as décadas analisadas. Metodologia:A coleta de dados foi embasada na análise de 314 prontuários de pacientes diagnosticados com LTA no HC-FMRP-USP entre os anos de 1980 e 2013. As seguintes variáveis foram pesquisadas: ano de diagnóstico, endereço, idade, sexo, etnia, profissão, procedência, tipo de moradia, contato com rios, deslocamentos recentes, acometimento de pessoas próximas; aspectos clínicos: forma clínica, localização das úlceras, mucosa acometida, cronologia dos sintomas, tempo de evolução, tratamento implementado, adesão à terapêutica, resolução do quadro, etilismo e comorbidades; e exames subsidiários: biópsia da lesão, teste de Montenegro, RIFI para Chagas e PCR). Resultados:Os resultados confirmaram os conhecimentos epidemiológicos já descritos na literatura sobre a doença. Observou-se predominância do sexo masculino (72,9%); o contato com rios revelou-se fator predominante para o desenvolvimento da doença (54%); o pico de faixa etária à apresentação foi entre os 40-59 anos (40%). Quanto à procedência dos pacientes, 64,7% eram provenientes da região nordeste do estado de São Paulo. Quanto aos exames laboratoriais, a biópsia revelou baixa sensibilidade para a visualização de formas amastigotas, com porcentagem de 26,3%; a PCR revelou ser a mais sensível, com média de positividade de 78,9%, seguida da intradermorreação de Montenegro, com 77,5% de casos positivos. Quanto à terapêutica, o antimoniato de meglumina revelou-se tratamento de escolha, cobrindo 79,8% dos casos abordados. Conclusões: Vale ressaltar o aumento na incidência de LTA ao longo do tempo. Tal fato nos chama a atenção para a necessidade de campanhas informativas sobre essa doença, que, além de ser negligenciada, pode resultar em sequelas, malformações e lesões agressivas, trazendo ao paciente acometido inadequação psicossocial, preconceito, estigmatização por parte da sociedade e incapacidade funcional.. , Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa. , Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Especialização: (0) / Mestrado acadêmico: (0) / Mestrado profissional: (0) / Doutorado: (0) . , Integrantes: Fernanda Tirelli Rocha - Integrante / VERENA HOKINO YAMAGUTI - Integrante / ANA MARIA ROSELINO - Coordenador / DOMINGOS ALVES - Integrante / Natalia de Paula - Integrante.

Histórico profissional

Seção coletada automaticamente pelo Escavador

Experiência profissional

2013 - 2014

Universidade de São Paulo

Vínculo: , Enquadramento Funcional: